domingo, 25 de setembro de 2011

Dirigente tarado do PT: nota de repúdio


Não sou filiado; não sou petista, mas o PT é o partido da presidenta da República. Aí me acho no direito de perguntar: 1) como um canalha, psicopata, tarado, pedófilo filho de uma puta chega a ser dirigente do PT? 2) por que somente as mulheres estão pedindo a expulsão desse degenerado?


"Ao Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores
À Comissão Executiva Nacional
Ao Diretório Estadual do PT de Minas Gerais
Ao Diretório Municipal do PT de Belo Horizonte
A violência sexual contra crianças e adolescentes é um crime abominável, extremamente cruel e covarde, com seqüelas que muitas vezes perduram por toda a vida. Na maioria dos casos os principais agressores são o pai, a mãe, outros parentes e padrasto, pessoas que deveriam oferecer proteção, carinho e cuidado com uma parcela da população considerada vulnerável e incapaz.
            O secretário de organização do diretório municipal do Partido dos Trabalhadores de Belo Horizonte, Nartagman Wasly Aparecido Borges, foi condenado a sete anos e nove meses de prisão pelo estupro de uma criança. A vítima é sua ex-enteada que à época tinha 9 anos de idade. O crime ocorreu em 2004 e, segundo o delegado do Departamento de Investigações, Alexandre Oliveira, além de estuprar a enteada, Nartagman também assediava a irmã dela e uma empregada doméstica.
            O Código de Ética do Partido dos Trabalhadores afirma, ainda em seu preâmbulo que:
            “Toda e qualquer transgressão ética cometida por militantes, dirigentes, parlamentares e governantes petistas deve ser apurada e punida com rigor e transparência pelo próprio Partido. A construção da nossa utopia deve ter a ética como um ponto de partida e um ponto de chegada”.
            Pois bem. É da competência da direção do Partido fazer com que sejam cumpridas as resoluções partidárias, o Estatuto e o Código de Ética.
Por isso, nós mulheres do PT,exigimos a expulsão imediata do filiado e dirigente do Partido dos Trabalhadores de Belo Horizonte, Nartagman Wasly Aparecido Borges. Sua conduta fere o código de ética, macula a instituição partidária e atinge a história do Partido dos Trabalhadores. Não há lugar nesse Partido para estuprador e pedófilo.  Além disso, o Partido dos Trabalhadores não vai proteger um cidadão que tem contas a acertar com a justiça brasileira.
            Pela expulsão imediata de Nartagman Wasly Aparecido Borges do Partido dos Trabalhadores.
Secretaria Nacional de Mulheres do PT
Laisy Moriére – Secretária Nacional
Coletivo Nacional de Mulheres
Alessandra Terribile
Angélica Fernandes
Euli Steffen
Fátima Beatriz Maria
Kátia Guimarães
Maria Teles dos Santos
Paula Beiro
Raquel Auxiliadora
Rosângela Rigo
Suely de Oliveira"

4 comentários:

Sérgio Vianna disse...

Quando uma instituição cresce muito inicia-se o processo de degradação interna.

Os sucessos são tantos que os desvios iniciais vão sendo ignorados.

É muito melhor colher e saborear os frutos da vitória do que a aborrecida tarefa de cuidar dos detalhes.

E no detalhe, dizia o filósofo, é que mora o diabo.

O tal Código de Ética citado no documento elaborado pelo Coletivo Nacional de Mulheres é letra morta faz tempo.

Há um Senador da República, filiado a outro partido, cujo suplente e filiado ao PT sofre a mesma acusação de pedofilia, sendo a vítima apontada uma sobrinha do dito cujo.

E o titular no Senado recebeu vários pedidos, de petistas indignados com o pedófilo, para não aceitar nenhum convite de ministério no governo Dilma para não permitir a posse do que abusou de uma criança.

Hipocrisia pouca é bobagem.

E depois da hipocrisia, cuidar de valores éticos é semelhante à história da Formiga e da Cigarra.

Marcio Tavares disse...

Uma vez, numa formação de chama no Seeb-Rio, tiraram da chapa uma pessoa do Bradesco pra recolocar um traficantezinho que, dentre outras coisas, era condenado por dar uma facada na companheira. Quer saber quem defendeu o meliante: Couto e Adeilson.

Marcio Tavares disse...

São os que coonestam com barbaridades desse tipo que ficam numa boa. Eu era do tipo que "cria caso". Hoje, Sergio, não teno paixão nem objetivo por porra nenhuma. Só me resta o sarcasmo.

Sérgio Vianna disse...

Eu te entendo, creia-me.