quarta-feira, 27 de julho de 2011

O terrorismo é religioso

Stars, stripes and freedom forever!(*)
Uma coisa que tem me preocupado depois que aquele maluco nazista norueguês matou aquela garotada é que boa parte da esquerda está denunciando os meios de comunicação por não deixarem claro que o loirinho é "de extrema-direita". Mais: "se fosse um islâmico esse fato viria nas manchetes dos jornais.

Minha preocupação vem do fato de que as pessoas podem estar opondo "terrorismo de extrema-direita" a "terrorismo-islâmico".  Nada mais falso. Tanto o loiro norueguês quanto os narigudos islâmicos são de EXTREMA-DIREITA.

Então, a cobrança deveria ser "se fosse islâmico, esse fato viria na manchete; mas como é cristão, o PIG esconde". Aí tem acordo, pois, antes de qualquer coisa, os diversos terrorismos de hoje em dia são de fundo RELIGIOSO.

Mas opor extrema-direita a islâmicos é de uma burrice inominável. Ou alguém teria a coragem de defender o infeliz de um fanático que é convencido a se tornar um homem-bomba em nome de Alá e seu profeta?

Bem, tem feminista que defende o Islã. Não é mentira. Juro por Zeus (meu cachorro schnauzer), já vi uma feminista defender ardorosamente uma cultura que corta com gilete o clitóris das recém-nascidas para que elas não sintam prazer no ato sexual. Uma religião que permite que o pai ou o irmão degole a menina que for estuprada, sob o pretexto de que ela se tornou impura. Religião que sustenta no poder uma família de canalhas como na Arábia Saudita, que não permite um mínimo de liberdade.

Mas sabem quais os motivos de pessoas subjetivamente de esquerda cometerem a estupidez de defender Al Qaeda, talibãs e quejandos? Primeiro pelo fato até hoje não descoberto pela ciência que faz com que as pessoas ditas de esquerda tenham uma certa dificuldade de usar o cérebro.

Em segundo lugar, vem daquela máxima (ou seria mínima?) de que "inimigo do meu inimigo é meu amigo". Assim: "Ora, se os talibãs de Osama bin Laden atacaram o WTC, símbolo do capitalismo, é porque eles são gente boa. Eu sou de esquerda e, por isso, detesto os EUA (embora nas férias eu prefira Orlando a Riade), logo, quem também não gosta do American Way of Life tá do meu lado".

Nada mais estúpido. O Islã hoje é dominado pelo que há de pior entre os seguidores de Maomé. E olha que o que tem de melhor já não é lá essas coisas. Eles (os islâmicos) nos consideram ímpios, infiéis e querem nos trucidar pra fazerem prevalecer a "civilização" da burka. Aí, mermão, eu fico do lado do Tio Sam!

Até a próxima.

(*) uma provocaçãozinha de leve

4 comentários:

Joel Bueno disse...

Eles cortam o clitórios, Márcio. Vc escreveu "hímen", certamente por engano, e não por ignorância anatômica. Conserta aí. Se fosse o hímen, não seria mutilação tão grave...

Joel Bueno disse...

Olha só, Márcio: http://tinyurl.com/3donzh3

Ia colocar no meu blog, mas tá mais na "linha editorial" do seu.

Abç

Marcio Tavares disse...

Joel, obrigado pelas duas dicas. Aproveitei e corrigi uns erros de português também. Postar de madrugada dá nisso. Mas tendo você como colaborador fica mais fácil.
Eu até contribuí com um dinheirinho pra essa campanha da ATEA.

Sérgio disse...

Fiquei com uma vontade arretada de entrar no meio dessa discussão de hímen e clitóris. Bem no meio. Se é que me entendem.

Mas vontade é um negócio que dá e passa...

como dizia o poeta!

Fui dormir. Passou.