sábado, 23 de outubro de 2010

Aprendendo com a Bíblia V

O SUS de Jeová


Existem muitas passagens absurdas na bíblia, mas algumas são tão absurdas - mas tão absurdas, como essa que veremos a seguir - que muitos crentes são obrigados a admitir que elas são apenas acréscimos de lendas populares e que não representam a verdade.

O problema é que se eles admitirem que se alguma passagem foi inventada pelo costume popular, então o que impede que outras passagens também não sejam? Quem sabe passagens importantes da crença cristã? Por isso a maioria dos crentes preferem apenas se calar de vergonha do que dizer algo a respeito.


Galera esperando o Anjo agitar a água que cura



Nesse episódio temos um tanque onde se acreditava que um anjo agitava a água e com isso curava o primeiro que chegasse nela:

João 5, 2 Ora, em Jerusalém há, próximo à porta das ovelhas, um tanque, chamado em hebreu Betesda, o qual tem cinco alpendres. 

João 5, 3 Nestes jazia grande multidão de enfermos, cegos, mancos e ressicados, esperando o movimento da água.

João 5, 4 Porquanto um anjo descia em certo tempo ao tanque, e agitava a água; e o primeiro que ali descia, depois do movimento da água, sarava de qualquer enfermidade que tivesse.

Imagino a cena, uma multidão de deficientes físicos, cegos, doentes, se acotovelando e se atropelando para ser o único que receberia a cura.

Jesus fica sabendo de um homem doente há 38 anos, e que era sempre passado para trás na hora do "rush milagroso":


João 5, 5 E estava ali um homem que, havia trinta e oito anos, se achava enfermo. 
João 5, 6 E Jesus, vendo este deitado, e sabendo que estava neste estado havia muito tempo, disse-lhe: Queres ficar são?

João 5, 7 O enfermo respondeu-lhe: Senhor, não tenho homem algum que, quando a água é agitada, me ponha no tanque; mas, enquanto eu vou, desce outro antes de mim.



Parece piada! Deus, se ele existisse dessa forma, seria um sacana dos infernos, por tratar o ser humano dessa forma.

Se era para curar, por que não curava a todos? Os poderes do anjo "gastam" depois do primeiro uso? Por que não colocar mais anjos "ajudando", se esse fosse o problema? Por que curar "o primeiro", se o que chega mais rápido provavelmente é o que menos necessita de cura imediata?

A impressão que dá nessa lenda absurda é que deus gosta de ver o sofrimento, a miséria e a decepção humana estampada no rosto de cada um, para que vejam o quanto ele é fodão.

Imagino o que se passaria na cabeça do anjo: "- Não insistam, já curei um hoje, agora só na semana que vem. Tchau, tô indo senão eu perco o final do Brasileirão. Fui!" 

E Jesus? Jesus também só curou um, o homem que falou com ele. O resto teve que esperar a boa vontade do anjo voltar!

2 comentários:

Leandro tadeu disse...

Gracas a deus, achei alguem que pensa como eu....

Marcio Tavares disse...

Engraçadinho... rs