terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Babacas, Bundões e Burros

Eu não assisto a um programa da Rede Globo (exceto futebol raríssimas vezes) há mais de 5 anos.

É claro que não assisto ao BBB. Mas o interessante deste programa é que, mesmo sem assisti-lo, não tem como não ficar sabendo o que acontece na casa dos "heróis", segundo o crítico de literatura, amiguinho da Suzana Werner e apresetador Pedro Bial. Aquele que escreveu um livro exaltado as virtudes do patrão. Esse mesmo.

Nesta última versão tem um transsexual (na minha época de Engenho de Dentro, como diria a saudosa Dercy, era tudo viado. Tinha o gilete que era aquele que dava o rabo mas também comia, mas ficava por aí). Eu não sei bem se o cara ainda tem bi(l)au ou se já se emasculou. Mas o certo é que a figura nasceu com um pênis. Como foi que eu fiquei sabendo disso se eu sequer assisto a programação da Rede Globo? Acho  que através da leitura pictográfica. Aquela em que a gente "lê" fotos, gráficos e qualquer outra figura da internet. Tem também os comentários de metrô, ônibus e fila de supermercado.

O certo é que não tem como ficar imune a esta imbecilidade que se chama BBB.

Fantástica a espécie humana. É capaz de produzir indivíduos como Tom Jobim, Machado de Assis, Santos Dumont e Beethoven, mas também descarrega pelo mundo Pedro Bial e "heróis" do BBB e - pior de tudo - quem assite a esta merda. Minto. Ainda tem coisa pior: aqueles que ligam pra votar em quem vai pro tal do paredão!!!

Eu levo, em média, 1min e 20 seg para ler uma página de um livro. Aí eu fico pensando. Uma hora de BBB daria pra ler 50 página de um livro. Poderia até ser de Sidney Sheldon, Daniele Steel. Não faz mal. Bem melhor que perder tempo assitindo essa verdadeira lavagem cerebral com que nos brinda a famiglia Marinho.

PS: resolvi voltar a escrever como antes dessa babaquice que é a reforma ortográfica. Então, doravante, vou voltar a usar trema, e acentuar os ditongos "ói", "éi" etc.

2 comentários:

Joel Bueno disse...

Saramago também não aguentava a reforma ortográfica e se recusou a escrever nas novas regras. Você está em boa companhia. Ah, o trema ele já não usava desde 1945.

Marcio Tavares disse...

Eu adoro o trema. Não gosto muito quando é verbo...